Maceió

Marco Referencial de Maceió potencializará diversidade de atrativos na orla de Maceió

O Marco Referencial vai tornar a nossa orla ainda mais atrativa. Ela já é considerada uma das mais belas do mundo e está à frente de muitas no Nordeste quanto à estrutura

alagoinha1Para passear, se exercitar, se divertir ou só para relaxar, a orla de Maceió – considerada uma das mais bonitas do mundo – é um produto turístico diversificado que encanta não só pela beleza natural, mas também pelas opções de entretenimento e lazer, agradando a turistas e moradores da capital. No próximo ano, o espaço ganhará mais um atrativo: o Marco Referencial que, em junho do ano que vem, tornará a orla de Maceió ainda mais atraente com mais um importante espaço de convívio. O espaço, que antes abrigava as ruínas do antigo Alagoas Iate Clube, começa a se transformar em uma ampla área de promoção de cultura e lazer, com 3,6 mil m² e capacidade para 1,5 mil pessoas.

No local serão construídos palco para eventos, praça de alimentação, biblioteca virtual e dois mirantes com vista privilegiada para o mar. Orçada em R$ 9,3 milhões, a primeira etapa do empreendimento conta com recursos provenientes do Governo de Alagoas e do Ministério da Integração Nacional. As obras são de responsabilidade da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinfra).

Depois de pronto, o Marco Referencial de Maceió será administrado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur). À frente da pasta, o secretário Rafael Brito explica a importância da obra para expansão da atividade turística do Estado.

“O Marco Referencial vai tornar a nossa orla ainda mais atrativa. Ela já é considerada uma das mais belas do mundo e está à frente de muitas no Nordeste quanto à estrutura. A obra chegou na etapa de instalação dos elementos estruturais. Neste momento, as frentes de trabalho estão concentradas na implantação de 172 blocos de pilares, com 3,5 toneladas cada, responsáveis pela sustentação da área. Depois de pronto, o Marco será mais um importante aliado do turismo no Estado, oferecendo mais uma opção de lazer para os nossos visitantes”, explica Brito.

Nativos e turistas se deleitam com beleza da orla 

A moradora da Pajuçara Maria Lucia dos Santos conta que, com frequência, leva os filhos para aproveitar a estrutura da orla. “As crianças gostam muito de passear por aqui. Tem parque, praia, ciclovia; além da segurança, que é um atrativo a mais. Trago sempre meus filhos para gastar energia e a gente ainda não gasta dinheiro, né? Para mim que sou mãe, o melhor é a estrutura para as crianças brincarem”, conta.

O casal de turistas português Maria e João Pereira contam que conhecem todo o Nordeste do Brasil e visitam Alagoas pela segunda vez. “Nós adoramos esse lugar e essa orla deixa tudo mais bonito. A vista e as opções são ótimas”, ressaltam.

Da Jatiuca à Pajuçara são seis quilômetros com uma estrutura diversificada com quadras de esportes, praça multieventos, parques de recreação, academia de ginástica, pontos de rede wi-fi, duas feiras de artesanato e uma centena de bares e restaurantes da mais variada gastronomia.

Toda essa estrutura atrai centenas de pessoas que movimentam o comércio na região. Valmeri Silva dos Santos é empresário e mantém um food truck de açaí na orla. “Os turistas elogiam muito a nossa orla. A segurança também tem sido um diferencial, o turista se sente seguro para caminhar, correr e comprar por aqui. Para gente é ótimo porque são mais pessoas circulando e, consequentemente, gastando”, conta.

A turismóloga e gerente de apoio à comercialização da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Margarita Arieta, ressalta as razões que fazem da orla de Maceió uma das mais completas do Brasil.

“É uma orla considerada prática, dinâmica, com diversas opções de passeios, lazer, gastronomia e dois pontos de venda de artesanato. Além disso, é adaptada para portadores de necessidades especiais. É a única do Brasil que é próxima de piscinas naturais, que estão a apenas dois km da costa, então é possível fazer mergulhos, passeios de jangada, stand up, entre outros. Isso não se encontra em outras orlas do país, é um diferencial grande”, conta.

Ascom – 09/01/2018

DEIXE SEU COMENTÁRIO