Home » Opinião » Dr. Milton Hênio: Nossas crianças e nosso Brasil

Dr. Milton Hênio: Nossas crianças e nosso Brasil

Estamos no início da Semana da Criança. No próximo dia 12 estaremos comemorando com muita alegria o Dia da Criança.

Estamos no início da Semana da Criança. No próximo dia 12 estaremos comemorando com muita alegria o Dia da Criança. Homenageamos, assim, o futuro do Brasil, a riqueza, o grande tesouro de nossa Nação. Elas representam a esperança da terra brasileira. Elas precisam ser educadas, instruídas e saudáveis para que possam ajudar o País a crescer e ter destaque no futuro.

É impressionante o número delas que vivem abandonadas, sem perspectivas nos tempos atuais. Não é de hoje que a criança brasileira vive relegada ao mais absoluto descaso, morrendo aos milhares de causas evitáveis. A inesquecível dra. Zilda Arns viveu lutando para que nossas crianças, principalmente em nosso Nordeste, vivessem uma infância feliz e fossem atendidas com dignidade e não morressem aos milhares de diarreia e desidratação. É triste, mas é verdade: atualmente milhares de crianças na idade de 5 a 12 anos perambulam pelas ruas, dormem nas ruas, cheiram cola, assaltam e convivem com as piores situações que uma criança nessa idade pode enfrentar. E então crescem frustradas, toxicômonas, vítimas desses dramas que vivem na infância.

A criança grava para sempre as cenas vividas em sua infância dos 3 aos 6 anos e que terão uma influência imensa em suas vidas futuras. Lares instáveis em qualquer situação social, lares desfeitos, separação dos pais, lares negligenciados onde os pais brigam constantemente na frente dos filhos pequenos, lares brutalizados, consequência de pais irresponsáveis, agressivos e alcoolizados que maltratam a esposa e os próprios filhos, causando-lhes transtornos psicológicos que vão perdurar pelo resto de suas vidas.

O mundo de hoje é completamente diferente do mundo de 20 anos atrás. O mundo antigo era mais afetivo, o de hoje é muito dinâmico, tem televisão, internet, que ocupa a criança em todas as horas, ensinando-lhes muitas coisas precocemente: beijar, dançar, cantar, gestos e atitudes erradas, enfim, “sacudindo” a criança de todo jeito. É uma pena, mas o Brasil está sendo solapado e enfraquecido naquilo que lhe tem de mais rico e precioso, que é a sua geração futura.

Vejam só: as pesquisas mostram que atualmente temos 35 milhões de crianças abandonadas nas terras brasileiras, sem educação apropriada, sem saúde e sujeitas à própria sorte. Temos que investir na criança para termos uma Nação forte no próximo século. Nossas crianças crescem depressa. De repente não estamos mais trocando suas fraldas, logo iremos levá-las ao colégio e depois à porta da Universidade. Assim é a vida. E, segundo Jesus Cristo, “se conhece a árvore pelos frutos que dá”. Os frutos são os exemplos de nossas ações e de nossas condutas como pais. Que maravilha, quando você, meu caro leitor, chega em casa cansado do trabalho, ombros reduzidos a pedaços e seu filho logo tenta retirar de você aquela fadiga dizendo apenas 4 palavras; “Alô, pai, te amo”. Que as crianças da minha terra alagoana vivam felizes e muito amadas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO