Com a Palavra

Michel Temer: Mais de R$ 16 bilhões para crescer o país

O governo adotou nova medida para movimentar a economia e tornar mais justo o nosso País. Anunciamos a redução da idade mínima para o acesso aos recursos do fundo PIS-Pasep. A iniciativa beneficiará cerca ...

O governo adotou nova medida para movimentar a economia e tornar mais justo o nosso País. Anunciamos a redução da idade mínima para o acesso aos recursos do fundo PIS-Pasep. A iniciativa beneficiará cerca de 7,8 milhões de brasileiros da terceira idade, pessoas que muitas vezes precisam de um reforço em suas contas. E mais importante: R$ 16 bilhões a serem liberados contribuirão para gerar emprego e renda.

O limite de idade para o saque do fundo PIS-Pasep era de 70 anos. Agora, será de 65 anos para os homens e 62 anos para as mulheres. Cada família saberá o melhor destino para o dinheiro extra que receber. Qualquer que seja, os recursos vão agora estar nas mãos de quem tem direito legítimo a ele, e estimulará nossa economia sem malabarismos contábeis ou ajuda aos mais ricos.

Estamos repetindo a receita de sucesso do FGTS. Liberamos neste ano R$ 44 bilhões depositados em contas inativas do fundo. A medida favoreceu as famílias que puderam sacar os recursos e todos os demais brasileiros, com efeito positivo sobre o crescimento do PIB.

Também visando o crescimento sustentado adotamos outra medida importante. Ampliamos a lista de empreendimentos para os quais vamos buscar parceria com o setor privado, o que permitirá rapidez na conclusão de obras e melhora nos serviços públicos. Também permitirá ao Estado receber bilhões de reais para investir naquilo que realmente importa ao cidadão: saúde, segurança, infraestrutura e educação.

Temos trabalhado com firmeza para alcançar nossos objetivos e já temos o que comemorar. No primeiro trimestre, a economia cresceu 1%, após oito trimestres de queda. A expectativa é que o País feche o ano com crescimento, e que o ritmo de expansão se acelere em 2018. Isso trará mais resultados favoráveis no campo do emprego.

No segundo trimestre, o desemprego no Brasil apresentou o primeiro recuo desde 2014. Resultados como esse nos dão força para avançar ainda mais. O País ainda tem 13,5 milhões de desempregados, herança da crise gerada pelo governo anterior. Esses brasileiros são hoje nossa prioridade. É com eles em mente que trabalhamos para superar nosso maior desafio: fazer os brasileiros sonharem com um grande país novamente.

DEIXE SEU COMENTÁRIO