Maceió

Empresas de ônibus entram com pedido para aumentar valor da passagem em Maceió

SMTT faz estudo para avaliar ‘o menor percentual de reajuste possível’; reunião acontece na próxima semana

O Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Maceió (Sinturb) solicitou à Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) reajuste na tarifa do transporte público na cidade de Maceió, que hoje é de R$ 3,50. O percentual pleiteado não foi revelado e a reunião entre o órgão e o sindicato está marcada para acontecer, inicialmente, na próxima quinta-feira (11). Após a solicitação, a SMTT realiza estudos para apresentar “o menor reajuste possível”.

De acordo com o superintendente da SMTT, Antonio Moura, o órgão já foi oficialmente provocado para que reajuste a tarifa. Contudo, garantiu o superintendente, os técnicos da pasta realizam um estudo técnico para ofertar o “menor reajuste possível à população”. Moura disse ainda que não tomou conhecimento sobre o percentual solicitado, mas confirmou o pleito dos empresários.

“Os técnicos da SMTT estão realizando os estudos para apontar o percentual correto do reajuste. Eles [empresários] sempre pedem um valor acima, mas a SMTT vai apresentar sua proposta, tomando como base os dados das nossas equipes. Em posse do estudo, vamos para a assembleia e, então, discutiremos o tema”, expôs. A decisão final do percentual cabe ao prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB).

Ainda de acordo com Moura, a preocupação do órgão é no sentido de resguardar o direito do cidadão em pagar uma tarifa de transporte público correta, sem abuso ou lesão ao bolso. Porém, apontou Moura, pela licitação do transporte público, cabe à SMTT zelar também pelo “equilíbrio econômico financeiro do transporte”.

O superintendente destacou, ainda, que um dos problemas que afetam o preço da tarifa do transporte público – além do reajuste do combustível e salário dos trabalhadores -, é o transporte clandestino. Antônio Moura disse que, apesar do trabalho que é feito diariamente pela SMTT, ainda há prejuízo ao sistema.

Ainda estudando

Por meio de nota enviada à imprensa, o Sinturb disse que ainda estuda o percentual pleiteado, justificando que o reajuste é necessário para manter o equilíbrio dos contratos da licitação, além de “que houve aumento de combustível e isso impacta diretamente nas empresas e, também, o reajuste de salário dos rodoviários em junho de 2017”.

DEIXE SEU COMENTÁRIO