Home » Maceió » Indústria da cadeia da Química e do Plástico será inaugurada em novembro

Indústria da cadeia da Química e do Plástico será inaugurada em novembro

Primeira etapa da BHR conta com investimento de R$ 23 milhões e irá gerar 50 empregos diretos

industriaA Cadeia Produtiva da Química e do Plástico (CPQP) será fortalecida em Alagoas nos próximos meses. É que as obras de construção da empresa BHR Indústria e Comércio de Produtos Químicos, situada no Polo Multifabril Industrial José Aprígio Vilela, em Marechal Deodoro, já estão em fase avançada. A previsão é que a indústria seja inaugurada no final de novembro.

Nessa terça-feira (10), o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Helder Lima, e o superintendente de Indústria, Comércio e Serviços da Sedetur, André Luiz Gomes, realizaram uma visita técnica para acompanhar a instalação da indústria.

Incentivada pelo Programa de Desenvolvimento Integrado (Prodesin) e com investimento de R$ 25 milhões nessa primeira etapa, a BHR irá produzir sulfeto de sódio em escamas, carbonato de cálcio e bicabornato de sódio, fundamentais para os segmentos de mineração, tintas, alimentos e gesso. A capacidade de produção da indústria para o primeiro ano é 14.217 toneladas e, até o quinto ano, deverá fabricar 28.433 toneladas de substâncias químicas.

“O Governo de Alagoas tem sido um importante parceiro das empresas dentro da CPQP, buscando sempre prospectar novos empreendimentos e apresentando todas as vantagens fiscais e locacionais de se investir Alagoas. A instalação da BHR, único grupo a fabricar sulfeto de sódio no Brasil, representa o fortalecimento e expansão da cadeia”, afirma o secretário Helder Lima.

BNDES

Após a visita técnica, Helder Lima se reuniu com o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Alagoas (Fiea), José Carlos Lyra; o vice-presidente, José da Silva Nogueira Filho; e representantes regionais do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a fim de discutir as linhas de créditos disponíveis para o empresariado.

Os dirigentes do BNDES anunciaram que pretendem disponibilizar R$ 100 bilhões anuais em crédito para micro, pequenas e médias empresas.

Texto de Andressa Alves

DEIXE SEU COMENTÁRIO