Home » Blogs » Meu Carro » Economize combustível: 10 dicas simples de seguir para poupar com seu carro

Economize combustível: 10 dicas simples de seguir para poupar com seu carro

A economia de combustível pode estar relacionada ao modo de dirigir do motorista

consumoCom o valor da gasolina subindo com tanta frequência, há quem comece a fazer os cálculos para descobrir se ainda está valendo a pena sair de casa com o carro. Como a comodidade ainda fala mais alto que o bolso, para a maioria, o melhor é ficar atento às dicas para economizar ao máximo.

Separamos abaixo 10 conselhos importantes para uma direção econômica:

1 – Não caia na armadilha do combustível adulterado

A dica mais óbvia é abastecer com combustível de qualidade, com procedência garantida e preferencialmente em posto com bandeiras conhecidas para reduzir o risco de colocar no tanque um produto adulterado, que eleva o consumo e ainda pode causar danos ao motor e outros componentes do veículo.

2 – Não encha até o talo

Nunca colocar mais combustível após o gatilho do bico da bomba desarmar, indicando que o nível no tanque já está próximo ao gargalo. O especialista explica que, nos veículos modernos, existe um dispositivo chamado de cânister, responsável por aproveitar os gases resultantes do combustível, levando-os para a câmara de combustão do motor via coletor de admissão. Com o tanque quase transbordando, há risco de combustível passar para o cânister.

“Isso danifica o componente — que não foi feito para receber líquido — que perde a função de aproveitar os gases. Além disso, a central eletrônica do motor entende que há algo de errado e isso afeta seu funcionamento em geral, elevando o consumo. Sem falar que, enchendo até a boca, há risco de transbordamento, com desperdício e potencial dano à pintura”, explica. Além disso, o sistema automático protege o frentista do posto, que fica menos exposto a esses gases dos combustíveis, que são tóxicos.

3 – Não rode “na reserva”

Rodar com o tanque na reserva, sempre com a luzinha acesa, pode causar prejuízos. “O próprio combustível ajuda a lubrificar e refrigerar a bomba de combustível. A cada vez que você liga o carro, a bomba envia combustível para o motor e o excesso retorna ao tanque, aquecido. Com pouco líquido, a temperatura dele fica mais alta que o indicado e não resfria a bomba, que pode travar”, explica Pose. Ele também alerta que, com pouco volume, risco de a bomba sugar resíduos e sujeiras no fundo do tanque aumenta, o que também coloca seu funcionamento em risco e pode até chegar aos bicos injetores, prejudicando a performance e elevando o gasto.

4 – Manutenção em dia poupa combustível também

Siga os prazos e as especificações do fabricante para a troca de fluidos e filtros do motor indicados no manual, especialmente no que se refere ao óleo lubrificante. Também verifique as condições das correias, velas e cabos de vela. Todos esses itens de manutenção constante influenciam no funcionamento do carro e, em condições inadequadas, contribuem consideravelmente para elevar o consumo.

5 – Carro não é armário (leve só o necessário)

Andar com o carro cheio de bagagens no porta-malas ou bagagem sem necessidade eleva o peso do automóvel. Isso aumenta o consumo. Portanto, carregue apenas o necessário e se livre dos “pesos-mortos”.

6 – Alivie o pé direito

Prefira um estilo de condução mais suave, com acelerações lineares e troca de marchas no tempo certo, sem “esticar” se não houver necessidade. Evite frenagens e desacelerações bruscas para não apenas poupar combustível, como também prolongar a vida útil de diversos componentes. Outra dica é, dentro do possível, escapar do trânsito de horários de pico — o para-e-anda dos congestionamentos é um dos fatores que mais impactam no consumo, além de causar maior desgaste.

7 – Pneus podem gastar mais que o motor

Também não deixe de manter os pneus calibrados corretamente, pneus vazios são grandes vilões para elevar o consumo, pois ampliam a superfície de contato com o solo, criando mais atrito. Com isso, sobe também a força necessária para o veículo se movimentar.

Mas fique atento: como o ar quente se expande, os pneus devem sempre ser calibrados frios para garantir a aplicação da pressão correta, indicada no manual. Verifique a calibragem antes de pegar a estrada ou a cada 15 dias, aproximadamente, sem esquecer de incluir o estepe.

8 – Rode sempre quente

Embora atualmente a maioria das montadoras não traga uma recomendação específica para aguardar o aquecimento do motor antes de começar a rodar, Gilberto Pose afirma que esse costume é benéfico para o veículo e ajuda no consumo de combustível. “Nunca é bom sair com o motor frio, exigindo o máximo do funcionamento do propulsor. Ao entrar no carro, dê ignição no motor antes de colocar o cinto, ligar o som e ajustar o banco. Três minutos são suficientes para o óleo subir e lubrificar as partes altas”, destaca. Com o motor mais quente, as partes metálicas também se expandem, reduzindo folgas e fazendo o carro ficar mais “solto”. A recomendação é não acelerar demais nem esticar marchas enquanto o propulsor não estiver na temperatura ideal.

9 – Nada de “banguela”

A prática, apesar de perigosa, até poderia ajudar a reduzir o consumo em carros carburados mais antigos. Mas isso não se aplica a modelos com injeção eletrônica. “Ao colocar o câmbio no ponto-morto, a central eletrônica entende que o carro está parado e injeta combustível no motor apenas para mantê-lo em funcionamento de marcha lenta”, analisa Pose. Além disso, ele avisa que esse costume é perigoso em descidas, pois carro desengatado perde a função do freio-motor e fica mais difícil de ser controlado, elevando risco de acidentes.

10 – Ar-condicionado ou vidro aberto

O uso do ar-condicionado interfere diretamente no consumo de combustível, que pode subir em média até 10%, pois o equipamento necessita da força do motor para fazer girar o compressor do gás refrigerante, por meio de uma correia. Além disso, rodar com os vidros abertos, mesmo com o ar desligado, aumenta a resistência do veículo ao ar e também faz o motor beber mais.

DEIXE SEU COMENTÁRIO