Com a Palavra

Dr. Milton Hênio: Educar filhos em tempos modernos

A televisão, concorrendo através das novelas, estimula a todo instante a cabeça do jovem que tudo é normal.

A juventude vive hoje um mundo em transformação. Num contexto de dúvidas e incertezas encontra-se o jovem adolescente de hoje, perplexo e confuso em suas angústias existenciais; angústias frente à necessidade de encontrar um propósito de vida e uma realização pessoal. Nos dias que correm esse entrosamento dos pais com os filhos vai se tornando cada vez mais importante e mais difícil, pela evolução do pensamento que atingiu a juventude com o sentido de liberdade sexual, liberdade de ação e de pensamento. A televisão, concorrendo através das novelas, estimula a todo instante a cabeça do jovem que tudo é normal.

Patrícia tem 13 anos. Vaidosa. Bonitinha. Mas está na idade dos conflitos. Já se acha uma mocinha e quer agir à sua maneira, impondo sua vontade. A mãe reage e se chocam. Discutem. Ela fica amuada. Chora. No desespero a mãe grita: “Você está um porre”. “No meu tempo não havia disso, havia mais respeito”. Patrícia diz: “Bom é pra Flavinha que a mãe dela deixa ela fazer o que quer”. Esse quadro é visto em muitas casas. No mundo em que vivemos, com a violência se espalhando de forma assustadora e as drogas assumindo um papel de verdadeira epidemia, é natural que os pais mantenham um grande entrosamento com os filhos para fazê-los compreender que os tempos são outros e que eles merecem ser bem cuidados com uma liberdade vigiada.

Fase realmente difícil a dos nossos tempos atuais. Exige muita compreensão. O fato é que enquanto nos tempos passados a família era praticamente tudo, a própria sociedade estava baseada na família e os filhos recebiam quase tudo dentro de um mundo familiar, agora as famílias estão integradas numa sociedade maior, com novos valores diferentes daqueles que os pais conheceram. É por isso que nos parecem necessárias duas coisas por parte dos pais: ter uma grande abertura e fazer um esforço diário de dialogar com os filhos, desde pequenos, de tal forma que permaneça uma confiança recíproca. É preciso não desanimar, não se render, fiscalizar quem são os amigos dos seus filhos e chamar a atenção quando saírem dos seus limites. Os pais de hoje têm que ser construtores da paz. Sabemos que são gente de carne e osso, com seus momentos de raiva, de desespero, de indignação e de tristeza às vezes. Porém, devem saber que as dificuldades podem ser superadas, que os obstáculos fazem parte do caminho da vida, mas com fé em Deus conseguirão manter a esperança, porque acreditam na presença do amor no mundo.

Aproveito este espaço para parabenizar os jovens e dinâmicos novos dirigentes do Pinto da Madrugada, que substituem seus pais na missão de distribuir alegria na cidade de Maceió com o desfile de várias orquestras e blocos cantando músicas dos carnavais do passado. Para jovens e idosos será uma manhã de grande alegria.

| MILTON HÊNIO é médico e membro da AAL.

DEIXE SEU COMENTÁRIO