Boas Compras

Compras de Natal: dicas para evitar imprevistos

“É preciso tomar cuidado porque as transportadoras e correios tendem a ficar sobrecarregados nessa época”, explica a especialista.

O final do ano junta o recebimento do 13º salário com as festividades, como o Natal, uma época em que 110,8 milhões de consumidores brasileiros presenteiam alguém, de acordo com o levantamento realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

Para garantir a lista de lembranças, os consumidores procuram pelos presentes em lojas, shoppings e sites da internet, plataforma em que 40% dos brasileiros pretendem fazer suas compras. Joanna Porto, advogada do escritório Porto, Guerra & Bitetti, alerta que é preciso ficar atento aos prazos de entrega dos produtos comprados on-line e, se possível, evitar compras de última hora.

“É preciso tomar cuidado porque as transportadoras e correios tendem a ficar sobrecarregados nessa época”, explica a especialista.

Como solucionar o problema

Caso a compra não seja entregue dentro do prazo esperado, é necessário rastrear o objeto para confirmar o seu envio e registrar reclamação no Serviço de Atendimento ao Consumidor, Procon, ou ainda relatar o problema no site Reclame Aqui. E, se o problema não for resolvido através das duas possibilidades anteriores, a opção é procurar o Juizado Especial Cível.

Para que a medida seja efetiva, Joanna lembra que é essencial possuir os dados da empresa e do produto adquirido. “Tenha em mãos, por exemplo, comprovantes de pagamento, número de protocolo de ligações realizadas e e-mails trocados”, afirma.

Como medida de prevenção, o Instituto de Defesa do Consumidor do Distrito Federal (Procon-DF) alerta que, para verificar a segurança da página, o cliente pode clicar no símbolo de cadeado que aparece no canto da barra de endereço ou no rodapé da tela. Outra opção é fazer uma busca em sites de reclamação e atentar-se as ofertas, para verificar se não destoam muito dos valores de mercado.

Além disso, a advogada alerta os consumidores para que fiquem atentos se o produto é comprado no mercado brasileiro ou exterior, já que as leis brasileiras não se aplicam às compras realizadas no exterior.

“Um exemplo disso refere-se à possibilidade de desistir da compra feita pela internet, que conforme o Código de Defesa do Consumidor, o consumidor tem até 07 (sete) dias para desistir da compra. Quando a compra for realizada no estabelecimento comercial, o prazo para troca depende da loja”, comenta Joanna Porto.

Para poder aproveitar as celebrações do final do ano, e ainda não comprometer o orçamento familiar, os alertas feitos pela advogada são essenciais. Assim, nenhum problema será encontrado na hora de presentear os amigos e familiares.

DEIXE SEU COMENTÁRIO