Meu Carro

Mitos e verdades sobre o uso da gasolina aditivada

Muita gente tem essa dúvida na hora de abastecer: vale a pena pagar um pouco mais e colocar gasolina aditivada?

Muita gente tem essa dúvida na hora de abastecer: vale a pena pagar um pouco mais e colocar gasolina aditivada?

Isso acontece porque não se sabe o que esse combustível traz de diferente: algumas pessoas pensam que gasolina aditivada deixa o motor mais potente e esperto; outras acreditam que ela não é adequada para uso em motores com alta quilometragem, pois seus aditivos iriam “desprender” sujeira interna e entupir filtros e bicos injetores; um terceiro grupo ainda a usa no tanquinho de partida a frio para fazer com que a gasolina tenha maior vida útil no reservatório, pois ela teria “maior validade” que a comum.

Fato é: muita informação circula por aí e por isso é normal existir dúvidas. O que é verdade e o que é mito nesse monte de constatações?

Mitos

 

Aditivada é “mais pura” que gasolina comum

A diferença da aditivada para a comum está, claro, no fato de a primeira trazer aditivos, que incluem detergentes para limpar a sujeira interna, dispersantes para “quebrar” essa sujeira e fazê-la queimar juntamente com o combustível e elementos que formam uma película protetora sobre cilindros, pistões e outros componentes, reduzindo o atrito e consumo. Mas ela não é “mais pura”.

 

Gasolina aditivada “vicia” o motor

O motor pode utilizar gasolina aditivada, comum ou etanol em carros flex em qualquer proporção, pois ele faz automaticamente o reconhecimento para receber os diferentes combustíveis.

 

Aditivos aumentam a potência

Outra mentira, pois esse papel cabe às gasolinas de alta octanagem, que elevam números de potência e torque em motores de alto desempenho. A gasolina aditivada tem a mesma octanagem da comum. Apesar disso, ela ajuda a limpar o sistema de injeção e, com isso, pode melhorar o consumo e até recuperar de certa maneira a performance de motores sujos com alguns abastecimentos.

 

Inadequada para motores muito sujos

Mito: parte dos aditivos dessa gasolina são justamente os dispersantes, responsáveis por transformar os resíduos em partículas microscópicas, evitando o bloqueio de filtros, por exemplo.

 

Gasolina aditivada não compensa

Outra historinha: mesmo sendo um pouco mais cara, a aditivada a médio e longo prazo ajuda a reduzir custos com manutenção, preservando peças dos sistemas de combustão e ignição, e ainda contribui para maior eficiência do motor, podendo reduzir o consumo.

 

Montadoras não recomendam aditivada

Mentira: a maioria dos manuais do proprietário dos veículos faz o oposto e recomenda justamente abastecer o veículo com gasolina com aditivos.

 

Basta abastecer algumas vezes que a aditivada já cumpre o seu papel

Outra lenda. Para que manter seus benefícios, é necessário que o uso da gasolina aditivada seja constante — caso contrário, com o tempo o motor voltar a formar sujeira interna.

 

Todas as gasolinas aditivadas têm a mesma especificação

Também não: cada marca tem sua fórmula específica de aditivos, incluindo detergentes, dispersantes e agentes que formam a película de proteção.

Verdades

 

É vantajoso colocar aditivada no tanquinho de partida a frio

Esse tipo de gasolina conta com antioxidantes que retardam seu envelhecimento e, portanto, tem maior validade — o que é importante, já que o reservatório pode passar semanas ou meses sem ser utilizado. A aditivada também impede que o líquido fique muito espesso, o que pode prejudicar a ignição.

 

É o óleo lubrificante e não o combustível que suja o motor

Sim, o responsável por sujar os bicos injetores e as válvulas é o óleo do cárter, que também protege e resfria peças móveis internas e entra em contato com o sistema de injeção. Gasolina adulterada, no entanto, traz outros prejuízos ao motor.

| UOL Seu Automóvel

DEIXE SEU COMENTÁRIO