Home » Maceió » Gasolina já é vendida a R$ 4,17 em Maceió

Gasolina já é vendida a R$ 4,17 em Maceió

gasolina-mais-caraO consumidor alagoano já está pagando mais caro pela gasolina. Ontem, alguns postos de combustíveis da capital já comercializavam o produto a R$ 4,17. Donos de estabelecimentos afirmam que a tendência é que o preço fique ainda maior, pois todo aumento anunciado pela Petrobras será repassado para o preço ao consumidor. Empresários do setor estimam que o litro da gasolina chegue a R$ 4,47.

Na segunda-feira, 4, a Petrobras companhia anunciou um aumento de 3,3% no preço do combustível repassado às refinarias, já a partir de ontem. Além desse reajuste, a companhia já havia aumentado o preço duas vezes na semana passada: 4,2% e 2,7%.

Em comunicado, a empresa informou que as altas recentes foram decididas pelo seu Grupo Executivo de Mercado e Preços (GEMP), convocado quando é preciso reajustar os combustíveis em mais de 7% para cima ou para baixo no período de um mês. Pela primeira vez desde que a política de preços foi revista, em junho, o reajuste teve de ser decidido pelos executivos que forma o Gemp (Grupo Executivo de Mercado e Preços).

Segundo nota da empresa, na ultima semana os mercados de derivados sofreram variações intensas de preços, em face dos impactos do furacão Harvey na operação das refinarias, oleodutos, e terminais de petróleo e derivados no Golfo do México. “A avaliação dos representantes do Gemp é que a política de preços definida pela Petrobras tem sido capaz de garantir a aderência dos preços praticados pela companhia às volatilidades dos mercados de derivados e ao câmbio”, informou a Petrobras, em nota.

De acordo com a estatal, durante o mês de agosto os ajustes acumulados foram de +3,4% na gasolina e de +2,2% no diesel, até o dia 29 último. Em julho, na avaliação feita até o dia 27, os ajustes acumulados foram de 4,7% no diesel e de -0,6 % na gasolina.

Em reunião na semana passada, o Gemp disse que “os ajustes promovidos têm sido suficientes para garantir a aderência dos preços praticados pela companhia às volatilidades dos mercados de derivados e ao câmbio”.

| GAZETA DE ALAGOAS

DEIXE SEU COMENTÁRIO